A pitadinha de Sal que faz a diferença!




"E os homens da cidade disseram a Eliseu: Eis que é boa a situação desta cidade, como o meu senhor vê; porém as águas são más, e a terra é estéril.
E ele disse: Trazei-me um prato novo, e ponde nele sal. E lho trouxeram.
Então saiu ele ao manancial das águas, e deitou sal nele; e disse: Assim diz o SENHOR: Sararei a estas águas; e não haverá mais nelas morte nem esterilidade.
Ficaram, pois, sãs aquelas águas, até ao dia de hoje, conforme a palavra que Eliseu tinha falado." 
[2 Reis 2: 19 a 22]

        Jericó era uma bela cidade, tinha de tudo para oferecer uma vida feliz aos seus habitantes.  Entretanto, seu povo era infeliz em virtude das “águas amargas”.  A Bíblia informa que suas águas eram péssimas (v. 19).  Igualmente há vidas preciosas na Igreja do Senhor que, embora agraciadas com beleza, inteligência e capacidade, padecem da “amargura de coração”. 
 
a)    Amargura: um mal que aflige crentes!
            Convivemos em comunidade e não é raro que conflitos, desavenças, ressentimentos, se desenvolvam e contaminem o coração do crente com amargura.  Daí a Bíblia conter fatura de admoestações acerca da necessidade de “tirar do nosso meio toda amargura” (Efésios 4:31), de “nã
o deixar que a raiz de amargura brote e contamine” (Hebreus 12:15).  O motivo pelo qual precisamos afastar a amargura de nós é claro: esterilidade. 

b)    O resultado da amargura:  esterilidade  (v. 19)
            Assim como em Jericó, cidade tão “agradável”, conforme o testemunho de seus habitantes, a amargura das águas impedia a felicidade do seu povo e o crescimento da cidade, a amargura de coração remove a alegria inerente ao servo do Senhor e o priva de frutificar na obra de Cristo.  Uma alma amargurada perde até mesmo a alegria de cultuar ao Senhor! (“Se você não tem alegria na vida cristã, existe vazamento em algum lugar no seu Cristianismo”  - Billy Sunday).
            Outro aspecto a destacar é a capacidade que a amargura enraizada tem de contaminar outras vidas:  “e que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem” (Hebreus 12:15).  A esterilidade resultante da amargura tende a alastrar-se pela Igreja do Senhor!  É um mal terrível!  O que fazer contra isso? 

c)     É preciso recorrer ao Senhor para purificar-se  (v. 21)
            Os habitantes de Jericó recorreram à pessoa certa.  Através de Eliseu, o Senhor operou  o milagre da purificação daquelas águas.  É preciso recorrer à ajuda do Senhor para purificar nossas almas, nossos corações de ressentimentos e amarguras,  de ofensas que já deveriam ter sido perdoadas, de mágoas sem fundamento, de raízes que insistem em brotar e que roubam nossa alegria. 

             Recorra ao Senhor e confesse a Ele a amargura que sente, a tristeza, o ressentimento, a dificuldade em perdoar...  Seja sincero diante dEle e, humildemente, peça-lhe ajuda.  Deus, então, removerá a amargura do seu coração. 

De: Paulo Rogério Petrizi 

2 comentários:

Clorivaldo disse...

Existe certas pidadinhas de sal que DEUS vai colocando na nossa vida dia a dia e que vai nos tornado cada vez menos amargos,o amor dos amigos,amor da filha e o amor da esposa que vai enxendo o nosso coração e principalmente a pidadinha de sal que DEUS vai colocando dia a após dia em nossa vida também que vai nos tornando mais doces com seu amor.
Deus te abençoe muito minha querida esposa.

Blog da Pastoragente disse...

Carlinha, to vivaaaa.
E vc como está? NOsso Deus, quanto tempo não nos falamos, não é mesmo??
Maravilhoso esse post.
Dê notícias suas.
Beijos.

Postar um comentário

Não serão publicados comentários ofensivos nesta página.

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

+ Vistos da Semana